Chef Rueda inaugura Hot Pork

O local traz a temática circense ao centro de São Paulo e serve duas versões do lanche: o hot pork e o not pork

Fachada do novo Hot Pork, no Centro
(Fotos: Rogério Gomes/Divulgação)

Com direito a música, palhaços e bailarinas, o chef Jefferson Rueda abriu seu novo empreendimento: o Hot Pork, sua versão de porco quente que tem todos os ingredientes feitos em casa, do pão à salsicha, sem conservantes, emulsificantes e corantes. A casa abriu no dia do aniversário da cidade e fica na esquina da Rua Bento Freitas com a Epitácio Pessoa.

Além do já conhecido sanduíche de porco quente, com salsicha de porco caipira (Hot Pork), a grande novidade do chef é criação da versão vegetariana (Not Pork), à base de cogumelos. Será servido em uma unidade com pão tostado de 16cm, uma salsicha de 18cm, ketchup de maça com especiarias, mostarda fermentada com tucupi e maionese e picles de cebola roxa. O valor é de R$15.

O espaço foi desenhado pelo arquiteto e designer Rafic Farah, e tem como inspiração o Cirque Calder. A iluminação cênica que varia ao longo da noite, as referências ao picadeiro, as cores primárias e os traços que compõe a decoração são marcantes. “O Jefferson me falou que queriam algo na linha de circos do interior, na hora pensei em Alexander Calder e seus circos, na hora pensei em Alexander Calder. Não queria fazer algo que remetesse ao porco, seria muito óbvio. Aqui no Hot Pork queremos trabalhar o conceito, o ambiente, o que as pessoas vão sentir ao entrarem”, disse Rafic.

Com a cozinha à mostra ao público através de um vidro, é possível acompanhar toda a cadeia de produção, desde o pão até as salsichas. “As pessoas querem ver como as coisas são produzidas, e eu faço questão de mostrar. Por isso escolhemos este formato, para que seja genuíno”, diz o chef Jefferson Rueda.

Inspirado pelo hábito de consumo nas ruas paulistanas, e da vontade de seus filhos de consumir o sanduíche, o chef se dedicou à receita ideal da salsicha. “A gente vê tanta coisa industrializada na rua, as pessoas consomem e nem sabem que essa comida pode ser muito melhor. Acho que é responsabilidade de nós cozinheiros contribuir para a mudança da comida popular, e oferecer a preços mais acessíveis. Esse projeto não visa dinheiro e sim mudança”, diz o chef Jefferson Rueda. “E por que alta gastronomia não pode ser também desenvolver uma salsicha de qualidade? Quero trazer um novo olhar para comida popular”, complementa.

Com a cozinha à mostra ao público através de um vidro, é possível acompanhar toda a cadeia de produção

Na janela ainda serão servidas bebidas que harmonizam com o porco quente. A grande estrela da casa será a sidra Épo de abacaxi com hibiscos (R$ 9), produto artesanal brasileiro de Morada, em Curitiba. Além da cerveja artesanal blondine feita exclusivamente para o Hot Pork, o WitPork (R$ 12), cerveja Heineken lata (R$ 8), e refrigerantes naturais sem conservantes (R$ 7).

E o Hot Pork chega com mais uma novidade: é a primeira vez que uma casa do chef Jefferson Rueda que aceitará todos os tipos de vale refeição, além de dinheiro e cartões de débito e crédito.

Serviço
Rua Bento Freitas, 454 – República/ SP
Horário de funcionamento: A partir do dia 1 de fevereiro – de segunda a domingo das 11h às 22h
Telefone: (11) 3129-8735
Instagram: @hot.pork