‘Fantasma da Morte’

O potente trem blindado da Revolução de 1932 era conhecido por esse nome. Esta e outras histórias fascinantes fazem parte do novo livro do escritor e jornalista Luiz Octavio de Lima:  “1932 – São Paulo em Chamas”. 

As histórias da Revolução de 1932 são extremamente fascinantes. Modelos de combates foram adotados pelos dois lados, mas o Movimento Constitucionalista ficou um passo a frente durante um tempo.

A estação de trem, em Buri, havia se transformado em uma base para os soldados paulistas, com acomodações fornecidas pelos proprietários das redondezas. O que os soldados não contavam é que uma arma secreta contribuiria muito com a luta: O Trem Blindado.

O recurso bélico ferroviário se inspirava em engenhos utilizados na Guerra Civil Americana (1861-1865), na Guerra Franco-Prussiana (1870-1871), na Revolução Mexicana (1910-1920), na Primeira Guerra Mundial (1914-1918) e na Guerra Civil Russa (1918-1920).

O modelo foi feito pelo engenheiro francês Clément de Baujaneau, a montagem pelo engenheiro voluntário Augusto Ferreira Velloso, que abandonou seu escritório para auxiliar a Escola Po­litécnica na construção dos veículos.

O tb-1, o primeiro protótipo feito, tinha 1 locomotiva a vapor e 1 vagão revestidos com madeira de faveiro e gros­sas chapas de aço. Em pequenas aberturas era posicionadas metralhadoras Hotchkiss 7 mm modelo francês. No teto, tinham duas enormes lanternas para iluminar as trincheiras inimigas à noite, utilizando a energia da própria locomotiva.

Apelidado de “Fantasma da Morte”, que teve sua estreia em 23 de julho, parecia um trem comum, se transformando em uma máquina aterrorizante que metralhava o inimigo com uma fuzilaria e canhões 75 mm.

“Dois quilômetros e o inimigo à vista. Os homens [federais] avançavam, certos de que era um trem de mercadoria, ou de víveres, e, em posição de atirar, ajoelhavam pelos trilhos. Nossas metralhadoras picotavam esses inconscientes”.

O êxito da atuação do protótipo foi tamanho que logo se montaram outras quatro unidades, que atuaram em combates nas diferentes regiões do estado.

Serviço
“1932 – São Paulo em Chamas”
Ficha Técnica:
Páginas: 352
Preço: R$ 56,90

Sobre o autor
Luiz Octavio de Lima é jornalista, formado pela PUC-RJ e com MBA em Economia pela Unicamp-Facamp. Atuou nas redações de O Globo, Folha de S.Paulo, Veja, O Estado de S. Paulo, Época e Exame. Foi finalista do Prêmio Jabuti 2015 com o livro Pimenta Neves: uma reportagem. É autor de A guerra do Paraguai, publicado pela Planeta em 2016.