O grande festival se aproxima

Gramado é, sem dúvida nenhuma, o Oscar do cinema brasileiro. Por essa razão, os cinéfilos ficam ansiosos com o anúncio das produções que concorrerão no ano. O eventon será realizado na cidade gaúcha entre 9 e 17 de agosto. O filme de abertura do evento será “Flores Raras”, de Bruno Barreto. A coordenação geral é de Rosa Helena Volk, tendo como curadores, Marcos Santuario e Rubens Ewald Filho.

Primeiro Dia de Um Ano Qualquer: um dos longas concorrentes

Primeiro Dia de Um Ano Qualquer: um dos longas concorrentes

“Tivemos crescimento na parte técnica e artística. Agora, o Festival vive outra realidade. É uma história de resistência e o evento se credencia cada vez mais como porta-voz do cinema brasileiro e latino”, Rosa Helena Volk. Quanto aos filmes selecionados, o curador Rubens Ewald Filho disse ter se surpreendido com as inscrições: “Foi um ano muito especial. Fiquei impressionado com a quantidade e a diversidade de propostas. Tanto que, em determinado momento, nos sentimos presos ao número máximo de filmes por mostras”. Com esse resultado, o curador sugeriu uma mostra itinerante para o Festival de Cinema de Gramado, onde outros filmes de qualidade que não entraram na seleção seriam exibidos para que também pudessem ser apreciados nacionalmente.
Conheça a lista dos concorrentes deste ano:

Longas-metragens brasileiros:
A Bruta Flor do Querer (SP), de Andradina Azevedo e Dida Andrade
A Coleção Invisível (BA), de Bernard Attal
Até Que a Sbórnia nos Separe (RS), de Otto Guerra e Ennio Torresan Jr.
Éden (RJ), de Bruno Safadi
Os Amigos (SP), de Lina Chamie
Primeiro Dia de Um Ano Qualquer (RJ), de Domingos Oliveira
Revelando Sebastião Salgado (RJ), de Betse de Paula
Tatuagem (PE), de Hilton Lacerda

Revelando Sebastião Salgado, filme sobre o cultuado fotógrafo

Revelando Sebastião Salgado, filme sobre o cultuado fotógrafo

Longas latino-americanos:
A Oeste do Fim do Mundo (Argentina/Brasil), de Paulo Nascimento
Cazando Luciérnagas (Colômbia), de Roberto Flores Prieto
El Padre de Gardel (Uruguai), de Ricardo Casas
Puerta de Hierro – El Exilio de Perón (Argentina), de Dieguillo Fernández e Víctor Laplace
Repare Bem (Portugal), de Maria de Medeiros
Venimos de Muy Lejos (Argentina), de Ricardo Piterbarg

Curtas-metragens brasileiros:
A Navalha do Avô (SP), de Pedro Jorge
A Voz do Poço (SP), de Patrícia Black
Acalanto (MA), de Arturo Saboia
Arapuca (SP), de Hélio Villela Nunes
Arremate (BA), de Rodrigo Luna
Carregadores de Monte Serrat (SP), de Cassio Santos e Julio Lucena
Colostro (SP), de Cainan Baladez e Fernanda Chicolet
Faroeste: um Autêntico Wester (GO), de Wesley Rodrigues
Merda! (MG), de Gilberto Scarpa
O Matador de Bagé (RS), de Felipe Iesbick
Os Filmes Estão Vivos (RS), de Fabiano de Souza e Milton do Prado
Os Irmãos Mai (SP), de Thais Fujinaga
Pouco Mais de Um Mês (MG), de André de Novais Oliveira
Sanã (MG), de Marcos Pimentel
Simulacrum Praecipiti (SP), de Humberto Bassanelli
Tomou Café e Esperou (RS), de Emiliano Cunha

Curtas gaúchos:
Armada, de Filipe Ferreira
As Memórias do Vovô, de Cíntia Langie
Catalogárgula, de Lucas Neris e Luan Salce
Codinome Beija-Flor, de Higor Rodrigues
Contrato de Amor, de Camilo Rodriguez, Leonor Jiménez e Thais Fernandes
Ed, de Gabriel Garcia
Entrevista, de Gabriel Horn
Férias, de Iuli Gerbase
Kassandra, de Ulisses da Motta Costa
L’anime, de Diego Urrutia
Logo Ali ao Sul, de Marcio Kinzeski
Notícias Tuas, de Vicente Moreno
O Matador de Bagé, de Felipe Iesbick
Os Desconhecidos, de Eduardo Teixeira
Os Filmes Estão Vivos, de Fabiano de Souza e Milton do Prado
Roda Gigante, de Julia Barth
Somos Todos Ilhas, de Pedro Martins Karam
Tomou Café e Esperou, de Emiliano Cunha

 

Fernando Porto é jornalista, escritor, terapeuta e editor da Agência Porto de Notícias, que oferece um conteúdo jornalístico diferenciado para o público de cultura, viagens, saúde e lifestyle