Quarto de D. Pedro no Palácio de Queluz é aberto à visitação

Novo projeto marca os 180 anos da morte do primeiro imperador do Brasil

A Parques de Sintra, gestora do Palácio Nacional de Queluz, em Sintra, Portugal, inaugurou um novo projeto museológico no quarto de D. Pedro d’Alcântara de Bragança. A ação marca os 180 anos da morte do rei de Portugal e primeiro Imperador do Brasil. O objetivo do projeto é atrair os visitantes portugueses e brasileiros – que já representam 10% do público do palácio, para os quais a figura de D. Pedro e sua família suscitam grande interesse.

Turistas terão oportunidade inédita de visitar o quarto de Dom Pedro

Turistas terão oportunidade inédita de visitar o quarto de Dom Pedro

A ação, que demorou seis meses para ser concluída, envolveu trabalhos de restauro na pintura decorativa das paredes do quarto (que havia sido reconstruída após um incêndio em 1934) e da escrivaninha de viagem de D. Pedro, pertencente ao acervo do Palácio Nacional da Ajuda. Procedeu-se à renovação do equipamento museográfico, à investigação histórica e iconográfica, além do levantamento documental, com a revisão de documentação de arquivo, imprensa diária e literatura da época.

No quarto D. Quixote, como é conhecido o espaço por ter 18 pinturas decorativas representando episódios da história de D. Quixote de La Mancha, destacam-se a exposição de 15 objetos pessoais de D. Pedro e nove peças de mobiliário, além de 15 pinturas e miniaturas entre as 48 peças em exibição. Há também novos suportes interpretativos, com destaque para os digitais. O sistema de segurança foi ampliado e foram instaladas novas lâmpadas de LED para reduzir o consumo de energia, mas respeitando o ambiente intimista do quarto.

D. Pedro d’Alcântara de Bragança, o primeiro Imperador do Brasil

D. Pedro d’Alcântara de Bragança, o primeiro Imperador do Brasil

O projeto museológico contextualiza o Quarto D. Quixote na vida de D. Pedro, que nasceu e morreu naquele espaço. Vários painéis informativos explicam sobre aquele que esteve diretamente ligado à independência do Brasil e à consolidação do liberalismo em Portugal. No local, um tablet apresenta uma imagem 360º da sala, com pontos de interesse e informação mais detalhada sobre o patrimônio exposto.

O tablet também dá acesso a um novo site com a biografia de D. Pedro, ilustrada com imagens e documentos de época, informações sobre a sua genealogia e uma seleção de 12 dos seus retratos mais emblemáticos. Este site também está online em www.dpedroiv.parquesdesintra.pt.

Muita da iconografia emblemática está disponível para consulta e visualização online através do Google Art Project. Esta é a primeira exposição integrada nesta plataforma por um museu português. Entre as imagens possíveis de encontrar, vale especial destaque a aquarela de Ferdinand le Feubure que reproduz o Quarto D. Quixote em 1850 e inclui uma inscrição manuscrita da Princesa D. Maria Amélia, filha de D. Pedro IV: “Chambre oú mourut mon père, dans le Palais de Queluz” (“Quarto onde morreu meu pai, no Palácio de Queluz”).

Para completar o projeto, foram protocolados empréstimos com o Museu Nacional de Arte Antiga, Palácio Nacional da Ajuda, Museu Nacional dos Coches, Museu Militar de Lisboa e Museu Nacional Soares dos Reis. A Lusitânia Seguros apoia a exposição, garantindo os seguros das obras.

Confira o vídeo com imagens da produção do projeto e o resultado final:

http://youtu.be/9ZtmraYGeV4?list=UU36ounhj0QFRA6JvZ-KtfBQ